Projeto Jetro

postado em: sem categoria | 0

Ouve, pois, as minhas palavras; eu te aconselharei, e Deus seja contigo; representa o povo perante Deus, leva as suas causas a Deus, ensina-lhes os estatutos e as leis e faze-lhes saber o caminho em que devem andar e a obra que devem fazer. Procura dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; põe-nos sobre eles por chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinquenta e chefes de dez.

Êxodo 18:19-21

Ao se reencontrar com seu sogro e sua família, Moisés e Jetro tiveram longas conversas onde Moísés contou as maravilhas que Deus fez para libertar seu povo do Egito e trocaram experiências.  Jetro notou a grande carga que Moisés carregava nos seus ombros atendendo e ouvindo o povo desde o amanhecer até o final da tarde e lhe sugeriu que dividisse o povo em grupos menores e escolhesse uma líder de confiança e alta conta com Deus para liderar esses grupos.  Moisés, então escolheu seus melhores líderes e dividiu o povo em 12 tribos baseadas nos filhos de Jacó diminuindo assim, com esta estrutura a carga sobre seus ombros, ficando apenas com os casos mais complicados, que em muitas faz vezes tinha que recorrer diretamente a Deus para resolve-los.   E, esta prática vem sendo utilizada até hoje nas mais diferentes situações, inclusive como base para implantação de Pequenos Grupos ou Células, utilizados em nossas igrejas.  Porém achar pessoas capazes, valorosas e tementes a Deus, que não sejam avarentas não é nada fácil, parece que estão escassos pois estamos vivendo num mundo de pessoas egoístas que só se preocupam consigo mesmo.  O ideal é que tenhamos a cada grupo de 10 a 15 pessoas tenhamos um líder, A cada 50 a 75 pessoas temos um líder com 5 líderes.  Desta forma quanto mais membros tivermos em nossas igrejas mais grupos devemos criar para cada grupo não ultrapasse a média de 10 a 15 pessoas.  Parece complicado, mas é muito funcional e muito parecido com o organograma funcional de uma empresa.  Precisamos fazer o melhor para Deus.

As tribos de Israel definidas ficaram assim definidas

As doze tribos de Israel têm os nomes dos doze filhos de Jacó: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, José e Benjamim, exceto por José que teve seu nome substituído pelo nome de seus dois filhos: Manassés e Efraim e por Levi, que não recebeu herança como as outras.

Rúben foi o primeiro filho de Jacó, que ele teve com Lia. Apesar de ser o filho mais velho, Rúben não recebeu o direito de filho mais velho de ser o próximo chefe da família e de receber uma herança maior. Ele perdeu esse direito por causa de seu pecado. Rúben teve relações com uma das concubinas de Jacó, desonrando seu pai (Gênesis 49:3-4). Nos 40 anos no deserto, alguns homens da tribo de Rúben se rebelaram contra Moisés e Arão e foram punidos por Deus. Mais tarde, a tribo de Rúben decidiu ficar do lado leste do rio Jordão, mas ajudou os outros israelitas a conquistarem o resto de Israel debaixo de Josué.

Simeão foi o segundo filho de Lia. Junto com Levi, ele matou todos os homens da cidade onde sua irmã tinha sido estuprada. A tribo de Simeão não teve grandes homens notáveis.

Judá era o quarto filho de Lia. Foi ele que teve a ideia de vender José como escravo e, em outra ocasião, ele foi enganado e dormiu com sua nora.  Judá se tornou a maior tribo de Israel e, mais tarde, um reino separado. O rei Davi e seus descendentes eram da tribo de Judá e Deus prometeu que o Salvador viria dessa tribo (Gênesis 49:10). Como descendente de Davi, Jesus era da tribo de Judá.

foi primeiro filho de Jacó com sua concubina Bila. A tribo de Dã era pequena e ficou conhecida por sua violência e idolatria.

Naftali foi o segundo filho de Bila. Baraque, o líder militar no tempo da juíza Débora, provavelmente veio de Naftali.

Gade foi o filho da outra concubina de Jacó, chamada Zilpa. A tribo de Gade também se instalou a leste do rio Jordão, junto com a tribo de Rúben. Alguns guerreiros valentes de Gade se aliaram a Davi quando ele ainda andava foragido, antes de ser rei.

Aser foi o segundo filho de Zilpa. A tribo de Aser recebeu uma porção da terra de Israel mas não conseguiu expulsar vários dos outros povos que moravam em seu território.

Issacar foi o quinto filho de Lia, que ela teve depois de um tempo sem conseguir ter filhos. A tribo de Issacar produziu um juiz de Israel, chamado Tolá, que liderou o país durante 23 anos.  Depois que Israel ficou dividido em dois países (Israel e Judá), um homem de Issacar, chamado Baasa conspirou contra o rei de Israel e o matou (1 Reis 15:27-28). Baasa se tornou rei mas não obedeceu a Deus. Seu filho e sucessor durou pouco tempo como rei e também foi assassinado. 

Zebulom foi o último filho homem de Lia. Depois que teve Zebulom, Lia teve uma filha chamada Diná e parou de ter filhos. Elom, que liderou Israel durante dez anos, veio da tribo de Zebulom.

Benjamim foi o último filho de Jacó. Sua mãe Raquel morreu no parto e ele se tornou o protegido de seu pai e seus irmãos. Eles partiram de Betel, e, quando ainda estavam a certa distância de Efrata, Raquel co­meçou a dar à luz com grande dificuldade. E, en­quanto sofria muito, tentando dar à luz, a parteira lhe disse: Não tenha medo, pois você ainda terá outro menino. Já a ponto de sair-lhe a vida, quan­do estava morrendo, deu ao filho o nome de Benoni. Mas o pai deu-lhe o nome de Benja­mim (Gênesis 35:16-18). Seu encontro com José no Egito foi muito emocionante, porque era seu único irmão inteiro.  A tribo de Benjamim teve uma história conturbada. Na época quando não havia rei, os homens de uma cidade de Benjamim estupraram e mataram a concubina de um levita. Por causa disso, o resto de Israel se juntou contra eles e quase exterminaram a tribo de Benjamim.  Um homem de Benjamim foi escolhido para ser o primeiro rei de Israel – Saul. Mas Saul foi um mau rei e ele e sua família foram mortos. Mais tarde, a tribo de Benjamim ficou unida a Judá quando o resto de Israel se separou para formar um reino independente. Outros líderes da Tribo de Benjamim foram Mardoqueu, Ester e o apóstolo Paulo.

José foi o primeiro filho de sua mãe Raquel, José era o favorito de seu pai, porque tinha nascido quando Jacó já era idoso. Por causa disso, seus irmãos o odiavam e um dia o venderam como escravo. José passou vários anos como escravo no Egito mas depois foi usado por Deus para salvar todo o povo da fome!  José ficou muito poderoso e se tornou o chefe de sua família, depois que Jacó morreu.  Jacó adotou os dois filhos de José, concedendo-lhes direito igual na herança com os irmãos de José (Gênesis 48:5). Assim, José deu origem a duas tribos, com o nome de seus filhos: Manassés e Efraim. Vários líderes vieram dessas duas tribos, como Josué, Gideão e Samuel.

Na Bíblia, as tribos são sempre citadas como doze, apesar de José ter se tornado duas tribos com os nomes de seus filhos: Efraim e Manassés, pois, a Descendência de Levi era considerado uma Descendência a parte, não foi considerada como Tribo por causa de sua consagração a Deus (Números 1:47-49) e ela era que representava todo o povo perante Deus, através dos Sacerdotes ou Levitas. A Descendência de Levi não recebeu herança como as outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *